4 Dúvidas Principais de Sublimação Para Quem Está Começando

4 Principais Dúvidas de Sublimação

4 Dúvidas Principais de Sublimação Para Quem Está Começando

Sabemos que você já dever ter visto vários textos por aí com dicas para quem está começando no mundo da sublimação. Mas, para facilitar sua busca e tornar sua leitura muito mais objetiva, separamos 4, das principais dúvidas de sublimação de nossos clientes, que certamente vão te ajudar também.

A APLICAÇÃO

O primeiro passo é saber com quais materiais você pretende trabalhar. O processo de sublimação faz com que a tinta seja transferida de um papel para uma determinada peça por meio de uma pressão térmica. E o material escolhido vai definir qual equipamento você vai precisar. São vários os tipos de produtos que podem receber a sublimação e listamos os principais deles:

  • canecas e pratos de porcelana

  • pratos de cerâmica

  • pisos e azulejos

  • sacolas

  • chinelos

  • squeezes

  • capinhas de celular

  • capas de almofada

  • bolsas

  • bonés

  • camisetas

  • roupas esportivas

Mas saiba que não é qualquer prato ou caneca que aceita a sublimação. Procure por peças específicas para isso, pois recebem um acabamento especial em resina que permite e facilita a transferência da imagem.

A TRANSFERÊNCIA

A prensa térmica é a responsável pela transferência da tinta do papel para a peça escolhida. Há vários formatos no mercado, específicos para cada tipo de produto. Podemos dizer que as prensas mais comuns são:

  • Planas (camisetas, capas de almofadas, chinelos)

  • Cilíndricas (copos, canecas, squeezes)

  • Prensas 3D (capinhas de celular, canecas)

Importante também conhecer a programação de cada uma delas, a pressão que exercem sobre a peça e qual a temperatura ideal para cada tipo de transferência. Teste sempre quando mudar o tipo de material. A pressão e a temperatura usadas pra um nem sempre servem para todos. E você não quer desperdiçar material, né?

O PAPEL SUBLIMÁTICO

O uso do papel sublimático é fundamental para se obter cores mais vivas depois da termotransferência e ele pode ser de vários tipos:

Com ou sem resina – O que diferencia os dois é que o papel resinado foi especialmente tratado para minimizar a absorção de tinta e proporcionar a melhor transferência de tinta para a peça. O papel sem resina, por ter maior poder de absorção, pode precisar de um pouco mais de tempo na prensa para garantir uma boa transferência.

Fundo rosa, azul, branco ou amarelo – Por um bom tempo as cores dos fundos dos papéis estavam mais ligadas à marca do que à sua finalidade. No entanto, alguns testes e o uso na produção diária indicaram que o papel de fundo rosa é um dos mais versáteis e pode ser usado em diferentes aplicações, além de garantir excelente resultado em peças rígidas e também em tecidos (de preferência 100% poliéster). Mas lembre-se, o que pode dar certo para uma pessoa, pode não servir para outra, então teste sempre antes de seguir tabelas prontas e crie o padrão que garanta a você o melhor custo benefício.

A imagem – Garanta que a imagem a ser utilizada tenha uma boa resolução para evitar que o resultado final fique granulado e comprometa a qualidade do seu produto. E não se esqueça de que a imagem será transferida para a peça, então ela precisa ser impressa no modo espelhado.

Armazenagem do papel – O papel para sublimação pode “encanoar” se estiver guardado em condições de umidade muito alta, seja da sua cidade ou do próprio ambiente de produção. Neste caso, recomendamos seu armazenamento em estufa.

Tempo de secagem – A pressa normalmente não ajuda quando queremos resultados de alta qualidade. Por isso, sugerimos aguardar alguns minutos após a impressão antes de realizar a transferência da imagem. Há quem sugira 20 minutos de espera. Dessa forma, você evita borrões na imagem e (de novo) não desperdiça material. Mas, se você precisa “correr” com a produção uma dica é colocar o papel impresso alguns minutinhos dentro da estufa (caso você tenha uma) ou usar o calor da prensa – mas sem encostar na imagem! – pra acelerar o processo de secagem da tinta.

A TINTA

As tintas sublimáticas são de base aquosa e foram especificamente desenvolvidas para o processo de sublimação e sua transferência para a peça escolhida (desde que tenha as condições certas pra isso) se dá de forma permanente. A plotter mais utilizada na sublimação é a EPSON, mas há no mercado tintas sublimáticas compatíveis também com impressoras Roland, Mimaki e Mutoh e com cabeças de impressão Piezo. A relação tinta x papel sublimático x impressora correta garantirá um trabalho de melhor qualidade e com cores muito mais vivas e definidas.

Não se preocupe, no entanto, com a opacidade da tinta depois de impressa no papel sublimático. A vivacidade e definição da imagem só serão percebidas após a termotransferência.

Com as 4 principais dúvidas de sublimação solucionadas, faça também um bom planejamento. Conhecer seu mercado de atuação e, principalmente, o seu público te ajudará a ter uma ideia das ferramentas, da mão-de-obra e do custo inicial do seu negócio.

Esperamos que esse texto tenha sido útil e se precisar se aprofundar um pouco mais além dessas em cada uma dessas 4 principais dúvidas de sublimação ou outras informações, não hesite fale com nossa equipe!

Até a próxima publicação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu